Não deixa

Calma menina. Tem dias que são mais difíceis mesmo, que nada parece dar certo e que você quer simplesmente se encolher em um canto. Dá aquela vontade de gritar. De chorar. De jogar tudo para o alto. De desistir. Mas não deixa essa escuridão entrar não.

Eu sei menina. Esse cantinho obscuro que existe no seu coração vira e mexe dá um jeitinho de crescer. Tem dias que acreditar em você e no seu potencial é missão impossível. Mas não deixa essa escuridão tomar conta não.

Respira menina. Tudo passa. Tudo tem seu tempo. Mas não engole o choro não. Coloca tudo pra fora. Grita. Esperneia. Respira. Tudo passa. Só não deixa essa escuridão voltar.


Pensamento do dia: “Ela teme o amanhã desde que ele aconteceu pela primeira vez.” 

Caminhando

Um pé, depois o outro. Um pé, depois o outro. Inspira. Expira. Isso, é só inspirar e expirar. Calma. Vá em frente menina. Eu sei que você tem medo. Mas dê um passo de cada vez. Isso. Um pé, depois o outro. Um pé, depois o outro. Inspira. Expira. Você consegue menina. Confie em você. Confie. Um pé, depois o outro. Um pé, depois o outro. Inspira. Expira. Isso. Caminhe no seu tempo. Não deixe que te apressem. Não deixe que te façam correr e perder os detalhes da vista do caminho. Um pé, depois o outro. Um pé, depois o outro. Inspira. Expira. Tudo vai dar certo. Não deixe as pedras, os buracos e as falhas do caminho te desanimarem. Se tropeçar, levante. Um pé, depois o outro. Um pé, depois o outro. Inspira. Expira. Isso.

Caminhando

Pensamento do dia: “Porque eu só preciso de pés livres, de mãos dadas, e de olhos bem abertos.” {Guimarães Rosa}

O futuro? Quem sabe…

Perguntaram para ela qual era a sua expectativa para o futuro. O que ela esperava para a sua vida. Nesse momento ela foi pega de surpresa. Subiu aquele sentimento de ansiedade. Ela se sentiu perdida.

– “O que eu quero para o meu futuro?” – ela se perguntou.

E a pergunta ficou pairando no ar por alguns instantes. O futuro é uma coisa incerta, pensar nele provoca aquele sentimento de inquietude, mas ao mesmo tempo de paz. Saber que o futuro nos guarda muitas surpresas, muitas conquistas e, principalmente, muitos desafios é algo que mexe com a gente. E ela se viu ansiosa para descobrir o que vem por aí.

Onde ela quer estar daqui cinco, dez anos? Ela não sabe. Mas de uma coisa ela tem certeza: ela quer estar ao lado de quem ela gosta e das pessoas que a querem bem. O resto é resultado, vem com o pensamento positivo e a cabeça erguida.

Se ela vai correr atrás dos sonhos? Mas é claro que vai! São eles que nos dão coragem e força para seguir em frente e superar os obstáculos que aparecem pelo meio do caminho.

O que vem pela frente? Ninguém sabe, mas ela está doida para descobrir…

na estradaPensamento do dia: “Por que teríamos pés senão para andar?” (A improvável jornada de Harold Fry)

Ah, o destino…

Se existe algo no qual ela acredita piamente é que tudo acontece por um motivo, por uma razão. Lembro que da última vez que apostou em um relacionamento o resultado foi um vazio e um instinto de autopreservação grande até demais. Muros foram levantados, barreiras criadas e rotas de fuga nunca faltavam. De vez em quando aparecia um ou outro querendo espiar pelas frestas, mas sempre desistiam. Ela se conheceu melhor, aprendeu a aproveitar a própria companhia e começou a perceber que poderia ser feliz. Com uma família que a amava, amigos de verdade e vários planos para o futuro, ela parava e pensava: por que não?

Independente e bem resolvida – apesar de todas as suas inseguranças (e como ela tem inseguranças!) – ela tinha até começado a desistir disso de se apaixonar, colocou o coração de férias e enfiou na cabeça a ideia de que não ter alguém não era o fim do mundo.

Ah, mas o que ela não sabia é que a vida tinha outros planos. Sabe aquela coisa de destino? Sei que pode parecer bobagem, mas não sei se foi coincidência ou o “dedinho” de alguém lá em cima que resolveu fazer com que o seu caminho se cruzasse com o dele. Eram dois corações meio desanimados e perdidos que se esbarraram por aí e, meio que sem querer, algo aconteceu.

Muros começaram a cair, barreiras se desfizeram e as rotas de fuga acabaram por se esconder num canto esquecido do mundo. Confesso que, no início, ela relutou: a razão queria falar mais alto. Mas, ah, não há nada mais bonito do que quando o coração bate mais forte e mostra a bobagem que a razão queria fazer. E não é que ele acerta?

Algumas coisas chegam assim, de mansinho, e quando você menos espera ela te leva para um lugar que você nem poderia imaginar. E com ela foi assim. Ele apareceu em seu caminho e provocou uma reviravolta. Mas uma reviravolta boa, daquelas que deixam a vida da gente mais bonita, sabe? Não era algo planejado, mas é como ela sempre disse: tudo acontece por um motivo.

E não é que é verdade?

music

Pensamento do dia: “Forgive me if I get too shy, but maybe you’re the reason why I’m feeling butterflies…” (Joss Stone – Tell me what we’re gonna do now)

Pensamento do dia 2: “As pessoas aparecem na nossa vida por um motivo. Isso mesmo. Quero que pense nisso.” (Neil Gaiman)

Tears dry on their own

Odeio chorar. Simplesmente odeio. Me sinto fraca, vulnerável. Mas existe algo mais libertador do que chorar?

Depois daquele dia horroroso ou quando você sente uma angústia inexplicável não tem nada melhor do que ficar sozinha, no seu canto, e deixar as lágrimas caírem. Parece que você está colocando tudo aquilo que te incomoda, que te pesa, pra fora. É como tirar um peso dos ombros.

Apesar disso, odeio chorar. Principalmente na frente dos outros – o que nunca, ou quase nunca, acontece. O choro é um momento meu e que, se um dia você me vir chorando, tenha certeza de que a coisa está pior do que você imagina.

retrovisor
Ah essa eterna mania de me achar forte, de não gostar de falar, de guardar tudo pra mim. Ah, isso um dia ainda vai ser um tiro no pé daqueles…

Pensamento do dia: “Fui para outro lugar em minha cabeça, para dentro de um livro. Era para onde eu ia sempre que a vida real ficava muito difícil ou muito inflexível.” (Neil Gaiman)

Essa tal timidez…

Ser o centro das atenções, ganhar um elogio, falar em público são coisas que sempre a assustaram. É aquele momento tenso, em que o rosto fica até vermelho (e dependendo da situação surge até uma leve tremeideira nas mãos), o estômago resolve lembrá-la que ele está lá… Ah! Essa tal da timidez a coloca em umas situações difíceis vez ou outra.

Ela pode até não parecer tímida. Conversa com as pessoas numa boa, faz amizades (nada de exagerado também…não ache que ela seja uma pessoa expansiva), é recepitiva com novos colegas no trabalho, com amigos dos amigos, com pessoas diferentes do seu círculo normal, mas não se engane. Coloque-a como foco da conversa e você perceberá que ela se retrai, fica mais calada. É nesse momento que o “bicho do mato” – como diz seu pai – aparece para ficar.

Ela pode também parecer ter uma boa autoestima. Ah, e como você se engana nesse quesito. Ela é crítica até dizer chega, mas é muito mais crítica com ela. Mas isso ela sabe esconder muito bem. São poucos os que percebem como ela repara em cada coisinha e aumenta seus defeitos nos mínimos detalhes. Defeitos que, nos olhos dos outros nem são defeitos, mas para ela são enormes. Essa tal de autocrítica é muito presente na vida dela.

Ela é daquelas que custa a confiar em sua capacidade. Está sempre insegura com as coisas que faz, que escreve. Pensa, repensa, re-repensa tudo. E se algo sai errado, aquilo fica ali, no fundinho da mente, martelando na cabeça.

Mas ela está aprendendo que ninguém é perfeito. Que todos, inclusive ela, têm direito de errar. Errar é humano, é normal, e acontece com qualquer um. Ela está aprendendo – e percebendo – que se os outros confiam nela (alguns até demais) é porque algo de bom tem ali, e ela está começando a reconhecer suas qualidades (aos poucos).

São passinhos de formiguinha, mas já é alguma coisa. Ela quer mudar e está se esforçando para isso. Mas mudanças são sempre complicadas. Ela sabe que encontrará pela frente alguns desafios, só que desistir é algo que atualmente não faz parte do dicionário dela. Então ela continua em frente e, quem sabe essa tal da timidez e da autocrítica param de colocá-la em situações difíceis? O melhor para se fazer é continuar a caminhar….

Como-perder-a-timidez-rapidamente

Pensamento do dia: “Deixa a tristeza ser bonita desta vez ao invés de torná-la apenas destruidora. Eu já tenho uma imensidão dentro de mim, não preciso que ela fique mais intensa.” (Do texto Sinais, da Leca Lichacovski – leia o texto completo aqui)